Cidadão estão preocupados diante de uma possível contaminação com a doença

O recente surgimento do novo coronavírus (2019-nCoV) na China mobilizou a vigilância sanitária brasileira para enfrentar quaisquer situações de risco à saúde no país, especialmente em locais considerados como “portas de entrada” para a doença. Um desses locais é a área portuária.

Nesta quarta-feira (05), no porto da Samarco, em Ubu, no município de Anchieta, um navio proveniente da China, para o embarque de 170 mil toneladas de fino de minério.

Moradores ficaram preocupados com a informação. O eletricista Manoel dos Santos, 42 anos, disse que não deixou a família passar nas imediações da mineradora.

“Na televisão passa o tempo inteiro que é um vírus preocupante e pode levar a pessoa à morte. Eu passo de bicicleta perto do porto, meus filhos e minha esposa brincam na praia. Preferi não sair e não deixar meus filhos expostos”, conta o eletricista que mora em Ubu.

Em função das recentes notícias sobre o Coronavírus, a Samarco esclareceu que a embarcação possui o relatório médico assinado pela Agência Naacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que permitiu a atracação.

“Reforçamos que todos os protocolos estabelecidos recentemente pela Anvisa para atracamento de navios estão sendo seguidos dentro da empresa”, conclui a nota.

A Anvisa destaca que em qualquer situação, independentemente da indicação de uso de equipamentos de proteção ou não, os trabalhadores e viajantes devem sempre adotar medidas preventivas simples, tais como:

Lavar frequentemente as mãos com água e sabonete;

  • Usar gel alcoólico nas mãos quando não estiverem visivelmente sujas;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar as mucosas dos olhos, nariz e boca;
  • Lavar/higienizar as mãos após tossir ou espirrar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui