Letícia Schaefer da Silva estava concluindo caminhada de rotina quando foi surpreendida por queda de avião. Ocupantes saíram sozinhos da aeronave em Guabiruba, no Vale do Itajaí.

Pelo menos três vezes na semana a terapeuta Letícia Schaeffer da Silva , de 31 anos, caminha nas ruas próximo de casa em Guabiruba, no Vale do Itajaí. Neste sábado (25), quando já estava quase concluindo o exercício, foi surpreendida pela queda de um avião monomotor, poucos metros de onde tinha acabado de passar.

“O susto foi grande, fiquei bem traumatizada no início, mas agora já estou mais calma, mais tranquilo. Posso dizer que nasci de novo e que a vida é um sopro”, disse Letícia.

A câmera de monitoramento de uma casa flagrou a queda do avião e Letícia levando um susto. Os dois ocupantes do avião saíram do monomotor sozinhos, segundo os bombeiros. Eles sofreram ferimentos leves e foram internados. Segundo o irmão do piloto, a suspeita é que tenha ocorrido uma pane no motor.

Diferente dos outros dias, Letícia foi caminhar sem ouvir suas canções favoritas no celular e resolver fazer hooponopono, uma prática havaiana de repetições de algumas palavras de auto perdão e cuidado.

“Meu dia foi atípico. Fui caminhar sem celular, na metade do caminho notei que estava sem máscara. Por coincidência ou não, iniciei a prática bem no local que o avião caiu, de repetir 108 vezes ‘sinto muito, me perdoe, eu te amo, sou grata’. Eu tinha começado ali, já tinha dado a volta e estava concluindo”, contou.

Segundo ela, por estar fazendo a prática é que apareceu nas imagens com as mãos em posição de prece. Após voltar alguns passos para tentar auxiliar os dois ocupantes do avião, ela retornou para casa.

“Voltei caminhando e chorando, refletindo que a vida é um sopro, hoje a gente está aqui amanhã talvez não esteja. Para refletir sobre a vida, se vale a pena ou não o que se está fazendo”, declara.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui