De acordo com as investigações, a dupla gastou cerca de R$ 10 mil em compras fraudulentas. Em um loja de departamentos da cidades, eles teriam utilizado cartões de três pessoas moradoras do Estado de São Paulo

O dono de um restaurante, de 31 anos, e um funcionário do estabelecimento, de 27, foram presos por suspeita de estelionato e associação criminosa, em Guarapari. Segundo a polícia, a dupla comprava mercadorias com dados de cartões de crédito clonados.

Em imagens divulgadas pela Polícia Civil, é possível ver os dois investigados em uma loja de móveis e eletrônicos, no município. Eles foram à loja para retirar uma poltrona comprada pela internet.

Os dois pareciam clientes, mas, segundo o titular da Delegacia Especializada de Investigações Criminais (Deic) de Guarapari, delegado Guilherme Eugênio Rodrigues, a ação não passava de um golpe. 

“Esse tipo de golpe se inicia com a captação dos dados dos cartões de crédito de pessoas inocentes que, muito provavelmente, apresentam seus cartões para compras presenciais em estabelecimentos comerciais. Uma vez captados esses dados, eles são intercambiados dentro dessa organização criminosa”, frisou.

“Aqueles que captam os dados, em um Estado da Federação, não os empregam, e eles transmitem para outros estelionatários, a fim de que, em outro estado, aqueles dados sejam empregados em compras realizadas de modo fraudulento”, completou o delegado.

Câmera registrou o momento em que os suspeitos foram à loja realizar as compras

De acordo com a polícia, a primeira compra dos suspeitos teria ocorrido em agosto. Como deu tudo certo da primeira vez, a dupla continuou a agir. 

“Foram realizadas, com o cartão de três vítimas diferentes, todas oriundas do Estado de São Paulo, compras em uma única loja de departamentos, no municípios de Guarapari. Com três cartões de crédito diferentes, um único estelionatário realizou três compras diferentes em uma mesma loja. A primeira compra realizada foi devidamente entregue. Ou seja, o empresário perdeu a poltrona, então negociada, que foi buscada na própria loja pelos estelionatários”, disse o delegado.

Depois de comprarem mais de R$ 10 mil com dados de cartões clonados, a polícia conseguiu chegar aos suspeitos. Os criminosos usaram o nome de uma moradora de Guarapari, de 88 anos. A polícia realizou a prisão na última quinta-feira (09), dia da suposta entrega.

Agiram de modo a transmitir a impressão de que uma idosa de 88 anos, completamente inocente, era a responsável por essa compra fraudulenta. A Polícia Civil, então, por meio da Deic de Guarapari, acompanhou o procedimento de entrega e, identificando o recebedor das mercadorias negociadas fraudulentamente, os capturou em flagrante delito”, contou Guilherme Eugênio.

Os investigadores não descartam a possibilidade da organização criminosa ser maior. De acordo com a Polícia Civil, as vítimas que tiveram o cartão clonado receberam o estorno das vendas e, por isso, não procuraram a polícia. 

Para evitar golpes, a superintendente de Polícia Regional Metropolitana, delegada Andréia Maria Pereira dos Santos, dá algumas orientações. 

“Que usuários de cartão de crédito, ao efetuar uma compra via internet, utilize o cartão virtual, que é feito exatamente para uma única compra. Assim você evita cair nesse tipo de golpe, onde o estelionatário utiliza os dados do seu cartão físico. O usuário do cartão de crédito deve bloquear o seu cartão físico para compras virtuais. Assim, ele impede que esses dados sejam utilizados de forma fraudulenta”, destacou.

Fonte Folha Vitória – *Com informações da repórter Jessica Cardoso, da TV Vitória/Record TV.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui