Aconfirmação do mal da vaca louca em um frigorífico de Belo Horizonte e em um outro no Mato Grosso pode provocar redução de preços nos açougues de todo o Brasil. Isso porque, com a suspensão da importação pela China, a tendência é que o mercado interno seja abastecido.

Com o aumento da oferta, os valores das carnes devem sofrer quedas expressivas. Nos açougues de Colatina, os consumidores têm pedido informações sobre o andamento da situação, interessados na queda de preço. Importante deixar claro que o caso de vaca louca não é transmissível, não provoca prejuízo para o gado e para a população, ou seja, não interfere na qualidade da carne oferecida no país. A orientação, com a possível redução, é não estocar carne agora e comprar apenas o necessário.

Mundialmente conhecida após o surto na década de 1980 no Reino Unido, a “vaca louca” acomete bovinos adultos de idade mais avançada e provoca a degeneração do sistema nervoso. Como consequência, uma vaca que, a princípio, era calma e de fácil manejo, por exemplo, se torna agressiva.

UM TAXISTA, QUE SE IDENTIFICOU APENAS COMO DEIVID E QUE FAZ PONTO NA PRAÇA MUNICIPAL, NO CENTRO, ACREDITA QUE ISSO NÃO VAI RESULTAR EM GRANDES ALTERAÇÕES. “NÃO VAI DAR EM NADA, PORQUE OS CASOS SÃO ISOLADOS. A DOENÇA ESTÁ CONTROLADA E FOI FEITO UM MONITORAMENTO CAUTELOSO PELO GOVERNO FEDERAL, IGUALZINHO DEVIA SER FEITO NA COVID, MAS PELO VISTO, O BOI VALE MAIS QUE A GENTE”, BRINCOU.

As variações nos valores continuam enormes nos açougues. Por isso, o consumidor precisa pesquisar para encontrar preços melhores.

Fonte: ES Fala

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui